Edifícios Inteligentes

Marisa Fonseca Diniz

Doha

A arquitetura tem evoluindo tão rápido quanto os grandes centros urbanos, a partir da década de 1970 um grupo de arquitetos fez o uso irônico de modelos arquitetônicos relacionados a máquinas e indústrias surgindo dessa maneira à arquitetura High-Tech ou a alta tecnologia.

A arquitetura High-Tech se refere ao pós-modernismo utiliza técnicas modernas de construção, designs arrojados e materiais como vidro, aço e concreto que é muito apreciado pelos arquitetos modernistas contemporâneos. Quanto mais a tecnologia evolui, mais equipamentos modernos e novos materiais surgem e são utilizados na indústria da construção.

Dubai

A arquitetura de alta tecnologia integra equipamentos técnicos na estrutura dos edifícios fortalecendo o impacto em um estilo High-Tech tanto em termos de matéria funcional como visual surgindo dessa maneira os edifícios inteligentes.

Os principais elementos técnicos utilizados nos edifícios inteligentes são células solares, sistemas técnicos elétricos, hidráulicos, climatização, circulação, uso intenso de cores vivas, acabamentos metálicos, vedações com painéis industrializados, vidros, grandes vãos, estruturas tensionadas entre outras tecnologias de última geração.

Capital tower

O Capital Tower localizado em Cingapura é um dos edifícios inteligentes mais antigos e  moderno no mundo e nos últimos 15 anos vem estabelecendo tendências High-Tech. A construção do edifício foi concluída em 2000 e integra o sistema inteligente de gestão de edifícios – IBMS para serviços e instalações. O edifício possui 254 metros de altura, sendo 52 andares.

A gestão do estacionamento é altamente inteligente, os elevadores da torre mostram em tempo real boletins de notícias nos painéis duplos de LCE e a energia fornecida é sistema eco-friendly.

Shangai Tower

O Shangai Tower é o edifício mais alto da China inaugurado em 2015. O edifício possui 632 metros de altura com 128 andares ocupando cerca de 380.000 metros quadrados. A torre é organizada como nove edifícios cilíndricos empilhados em cima um dos outros, delimitada pela camada interna da fachada de vidro. O desenho da fachada de vidro é capaz de reduzir cargas de vento sobre o edifício em 24%, porque menos materiais de construção foram utilizados e o recurso de torção coleta a água da chuva que é utilizada no condicionamento da torre de ar e nos sistemas de aquecimento. As turbinas eólicas geram energia ao edifício.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Edifícios Inteligentes de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniz.wordpress.com/2017/03/26/edificios-inteligentes.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s