Furacão, ciclone, tufão e tornado, qual a diferença?

Marisa Fonseca Diniz

A natureza anda em fúria e não é de hoje, furacões, tornados, ciclones e tufões cada vez mais violentos sacodem a Terra e colocam medo nos habitantes. Mas, como entender tudo isso e saber a diferença entre estes fenômenos metereológicos?

Os furacões são caracterizados pela formação de um sistema de baixa pressão que se formam nas regiões tropicais do planeta, eles são os responsáveis por levarem o calor de uma região equatorial às latitudes mais altas. Os furacões se formam no Oceano Atlântico Norte, no Mar do Caribe, no Golfo do México e no Oceano Pacífico próximo ao litoral da América do Norte.

Os furacões são uma mistura de chuva e  ventos de mais de 200 km/h causado pela rotação intensa do movimento oceânico, e é  justamente na superfície dos oceanos que se formam as espirais de ar que voltam para dentro deles em sentido anti-horário.

giphy

Saffir-Simpson é a escala que classifica a força dos ventos dos furacões que vão 1 a 5, na menor escala os ventos são de baixa intensidade e não causam tantos transtornos, porém a escala 5 apresenta ventos muito fortes que podem ultrapassar os 200 km/h e destruir cidades inteiras.

Furacão Katrina – New Orleans em 29/08/2005
Furacão Katrina – New Orleans em 29/08/2005

O maior furacão que aconteceu até hoje foi o São Callisto, que ocorreu em 16 de outubro de 1780 no Oceano Atlântico passando pelas Pequenas Antilhas e o Caribe. O furacão atingiu a velocidade de 320 km/h matando mais de 27.500 pessoas. A intensidade dos ventos foi maior do que o Furacão Katrina que atingiu mais de 280 km/h e matou mais de 218 pessoas causando diversos prejuízos na região sul do litoral dos Estados Unidos.

Ciclones no Oceano Atlântico Sul próximo ao litoral sul do Brasil
Ciclones no Oceano Atlântico Sul próximo ao litoral sul do Brasil

Os ciclones se dividem em tropicais e extratropicais, o movimento de ar giratório acontece em grandes áreas e os ventos são iguais ou superiores a 120 km/h com poder de destruição de casas e veículos. O ciclone tropical é um sistema formado por grandes tempestades, onde a alta pressão atmosférica é menor e a temperatura é ligeiramente maior. A área de baixa pressão atmosférica possui circulação fechada de ventos e é diferenciada por ciclones extratropicais, que ocorre em latitudes médias e sem calor em seu núcleo.

O tufão é um fenômeno caracterizado por um ciclone tropical que ocorre nos mares orientais, Oceano Pacífico próximo ao Japão e no Oceano Índico. As rajadas de vento chegam a 360 km/h e tem poder de destruir cidades inteiras. Os tufões são redemoinhos que giram em torno de um núcleo de baixa pressão atmosférica.

Supertufão Hayan – Filipinas em novembro de 2013
Supertufão Hayan – Filipinas em novembro de 2013

O tufão mais intenso a sacudir a Terra a que se tem notícia é o supertufão Hayan que aconteceu nas Filipinas em novembro de 2013. O número de mortos superaram a 10 mil pessoas, os ventos chegaram a 380 km/h com forte tempestade, e o olho do tufão tinha mais de 9 km de largura.

O tornado é um fenômeno metereológico que se manifesta como uma coluna de ar que gira de forma violenta em contato com a superfície da Terra tendo como a base uma nuvem cumulus. Apesar do movimento de ar giratório, a área na qual eles se estabelecem é menor, mas as velocidades podem variar de intensidade. Os tornados podem ter diversos tamanhos e formatos, o mais comum é o cônico que permite que a base fina toque o solo e em geral seja rodeada por uma nuvem de pó.

Os ventos chegam à velocidade de 180 km/h e medem 75 metros de diâmetro. Os tornados mais intensos podem ter ventos com velocidades superiores a 480 km/h e diâmetro de 1500 m. O poder de destruição de um tornado é grande, pois por onde passa vai levando tudo pelos ares. É muito comum nos Estados Unidos acontecerem tornados, tanto é que, o maior tornado em diâmetro foi o Tornado de Moore em Oklahoma em 20 de maio de 2013 com 4,2 km e ventos de até 475km/h. Bairros inteiros foram devastados com mais de 24 mortos e 242 feridos.

Apesar de toda tecnologia, a indústria da construção civil não conseguiu desenvolver casas resistentes a fúria dos tornados, furacões, ciclones e tufões a fim de suportarem as altas velocidades dos ventos.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Furacão, ciclone, tufão e tornado, qual a diferença? de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniz.wordpress.com/2015/07/24/furacao-ciclones-tufao-tornado-qual-a-diferenca/.

Anúncios

One thought on “Furacão, ciclone, tufão e tornado, qual a diferença?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s