Errar é humano, mas causa vários prejuízos

Marisa Fonseca Diniz

engenharia civil

A engenharia surgiu a partir da existência humana, quando o homem desenvolveu a habilidade necessária para a evolução do padrão de vida. O surgimento dos assentamentos fez com que o ser humano criasse técnicas de estruturação resistentes a serem utilizadas na construção de abrigos, que pudessem suportar o desgaste dos anos.

A grande demanda no decorrer dos séculos por estruturas maiores e eficientes acabou impulsionando o surgimento de novas técnicas de construção, e a formação de profissionais capacitados para assumirem a responsabilidade da produção destas estruturas. Surgindo desta maneira a engenharia civil, porém apenas a partir da revolução industrial é que a profissão de engenheiro civil foi oficialmente reconhecida.

A engenharia civil engloba a concepção do projeto, a construção e a manutenção de todos os tipos de infraestrutura necessários ao desenvolvimento da sociedade e bem-estar, incluindo a preservação do ambiente natural. Edifícios, pontes, túneis, usinas geradoras de energia, indústrias e inúmeros outros tipos de estrutura são de responsabilidade da engenharia civil.

O engenheiro civil deve ter várias habilidades para desempenhar bem a profissão, os principais atributos são:

  • Comunicação;
  • Análise racional dos fatos envolvidos;
  • Ética.

A engenharia divide-se em várias áreas, tais como geotecnia, transportes, construção estrutural, entre outras, porém alguns profissionais da área da engenharia civil têm cometidos alguns erros de cálculo, que causam prejuízos e danos às obras.

Em 29 de janeiro de 2011, o Edifício Real Glass, em Belém-Pará, no Brasil desabou por um erro de cálculo estrutural. O laudo técnico emitido pelo Grupo de Análise Experimental de Estruturas e Materiais da Universidade Federal do Pará disse que a concepção estrutural do projeto era inadequada levando o prédio ao colapso. A estrutura foi submetida a uma combinação elevada de carregamentos verticais e horizontais provocadas pelo vento e pelo peso das vigas.

edifício Real Class, em Belém, no Pará

Em Washington, nos Estados Unidos, a Ponte Tacoma Narrows foi inaugurada em 1938, porém balançava com tanta violência que foi apelidada de a Grande Galopante. Ventos de mais de 60 km/h geraram movimentos de torção na ponte fazendo com que a estrutura caísse na enseada de Puget Sound. Atualmente a ponte tem sua armação em aço que forma o maior recife artificial do mundo.

Ponte Tacoma Narrows

Em 2003, a construção da Ponte de Laufenburg na divisa entre a Alemanha e a Suíça tinha um problema grave de cálculo estrutural, pois um dos lados tinha uma diferença de 54 cm acima do outro, em vez de estarem os dois lados na mesma altura do nível do mar. O erro foi percebido e corrigido, a fim de que a ponte pudesse ser completada.

Ponte de Laufenburg

No ano de 2000, Londres construiu uma ponte para marcar a passagem do milênio. A Ponte do Milênio que une o Museu Tate Modern com a Catedral de Saint Paul ambos as margens do Rio Tâmisa, um ao norte e outro ao sul era para ser uma ponte de pedestres que facilitaria a travessia. A ponte ao ser inaugurada os 350 metros de cumprimento balançavam muito apavorando os pedestres.

Ponte do Milenio

O principal problema detectado através do design da ponte de pedestre era o efeito da “pisada sincronizada”, isto é,  a medida que a ponte balançava, as pessoas ajustavam o passo conforme o ritmo da ponte, aumentando ainda mais a sua oscilação.

Em 2001, os engenheiros instalaram amortecedores para reduzir o balanço, e no ano seguinte a ponte foi reaberta ao público.

Em 3 de julho de 2014, a queda da parte de um viaduto em construção na cidade de Belo Horizonte, no Brasil, matou duas pessoas. A investigação da policia civil constatou que erros de cálculo no projeto estrutural provocaram o desabamento, uma parte da estrutura foi implodida.

Viaduto BH

Os artigos aqui publicados e este blog estão protegidos pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo os artigos aqui expostos, pois estão todos registrados.

Licença Creative Commons
O trabalho Errar é humano, mas causa vários prejuízos de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniz.wordpress.com/2015/02/26/errar-e-humano-mas-causa-varios-prejuizos/.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s